J DE MONTAIGNE SOLO EXHIBITION - NATURA EST THEATRUM

June 4, 2019

 

 

Jaqueline de Montaigne é uma artista portuguesa reconhecida pelas obras espalhada por vários locais de Lisboa, murais emblemáticos que são parte da moldura de Lisboa, diariamente fotografados por turistas e curiosos. Porém, Jaqueline de Montaigne não é apenas uma conceituada muralista, é uma ativista que usa a arte como forma de defender a sua visão do mundo. Agora, com a crescente epidemia de mudanças climáticas induzidas pelo homem, Jacqueline coloca a natureza no centro do palco da exposição, ao chamar a atenção para uma diversidade espécies no seu esplendor teatral natural. Nesta exposição a sua marca azul torna-se secundária às cores fortes usadas para mapear o aquecimento global.

 

 

 

 

 

ART MAGAZINE

SOBRE J DE MONTAIGNE

 

 

 

Fala-nos um pouco deste tema: Natura Est Theatrum.

Sempre desenhei animais e natureza, especialmente pássaros. Quando tinha uns 8 anos, a minha mãe deu-me um livro sobre como desenhar cavalos, e desde então venho desenhando animais. Agora, com os problemas do aquecimento global e a taxa alarmante de extinção de espécies, apresento-os cada vez mais nos meus trabalhos, colocando-os no centro de um palco em sua plena magnitude e esplendor teatral. 

 

Nas tuas últimas séries de trabalhos predominava a cor azul. Nesta exposição alteras um pouco o registo, porquê?

Fico entediada facilmente, e precisava de uma mudança… apesar de ainda existir bastante azul nestes trabalhos. Para além de focar-me nas cores da espécies que quis representar, queria fazer algo mais, e assim apliquei em alguns trabalhos os grupos de cores usadas no mapeamento do o aquecimento global 

 

Jacqueline de Montaigne é nome artístico?

Perguntam-me isso com frequência, mas não, é o meu nome de nascimento.

 

Como é o teu processo de trabalho?

Fotografo tudo e todos, até mesmo os estranhos com que me cruzo na rua. Imprimo as fotos e coloco-as nas paredes do meu estúdio para me inspirar. Também tenho uma grande coleção de livros de referência de imagens que venho colecionando desde muito jovem, os quais me ensinavam a desenhar e a pintar… ainda uso muitos deles no meu trabalho.

 

Das espécies representadas, qual é a que destacas?

O Grou-Coroado-Vermelho (Grus Japonensis) é novo no meu trabalho, mas fará parte de vários projetos este ano. É um pássaro tão elegante e mágico, que parece estar a dançar e a planar. Eles foram colocados na lista de espécies ameaçadas de extinção em 1970 e existem apenas cerca de 2500 no planeta, muito poucos em ambiente selvagem. É uma ave importante na cultura Japonesa e Coreana, sempre presente na arte tradicional desses países.

 

 

No meu trabalho figurativo, muitas vezes incorporo os pássaros como tatuagens, uma gravação permanente da sua existência, porque um dia poderemos só ficar com imagens…

 

 

 

 

 

 

 

 

 Ver mais:

 

NATURA EST THEATRUM - EXPOSIÇAÕ DE J DE MONTAIGNE - ARTWORKS

 

 

 

Please reload

Rua Dona Estefânia 157 C, Lisboa, Portugal | GPS: 38.732722, -9.141149 | T: +351 214 055 054 | info@espacoexibicionista.com

 

SEG-SEX: 11:00 - 20:00 | SAB: 11:00 - 18:00