FREQUENTLY ASKED QUESTIONS: ANA CRISTINA DIAS

April 18, 2017

 

Ana Cristina Dias mostra-nos neste conjunto de trabalhos que é uma pintora do corpo e do rosto. Pinta e desenha cabeças e rostos. A sua intenção é retratar nas telas , a verdade. Verdade que nos acostumámos a ver no nosso dia a dia. Os seus modelos não têm que ser bonitos nem perfeitos, são de pessoas comuns que se cruzam connosco nas ruas. Gosta de lugares e coisas imperfeitas, o soalho antigo, a parede manchada, a barba por fazer…Espera que a honestidade e dedicação que confere ao seu trabalho, seduza e prenda os olhares do público.

 

 

FREQUENTLY ASKED QUESTIONS
SOBRE ANA CRISTINA DIAS


 


Costumas dizer que a pintura é para ti uma aventura, porquê?

 

Há allturas que é uma verdadeira aventura, tem tudo a ver com hábitos antigos, durante longos anos cumpri horários, tarefas e chegado o fim do mês tinha o ordenado depositado na conta, agora é tudo diferente, imponho-me horários, tarefas, regras , só não consigo o salário (riso), as regras são mais rigídas mais controladas. Esta aventura é boa , muito boa, porque não tenho que conviver  8, 10 h .... diárias com pessoas rabugentas

 

 

 

Qual a tua fonte de inspiração?

 

Pode ser um livro, um filme, uma música, uma recordação, uma imagem, uma história; qualquer coisa que provoque  em mim uma emoção  e a vontade de exteriorizar essa emoção

 

 

 

Qual é o teu pintor de referência?

 

Sem hesitar digo imediatamente Lucian Freud

 

 

 

Em alguns trabalhos,  principalmente nos  mais antigos, nota-se alguma proximidade com os trabalhos da Paula Rego, o que nos dizes sobre isto?

 

Quando vejo alguma entrevista da artista Paula Rego, revejo-me no que ela diz, os seus  gostos, pontos de vistas, devemos ser pessoas parecidas ( acho)... talvez seja por isso que se encontre algumas  parecenças,  nos meus trabalhos mais antigos também contava histórias e essas histórias também eram de meninas e também representava muito cães , gatos, pássaros. Depois , confesso, forcei um pouco esse afastamento porque chegava a arreliar-me ouvir sempre que os meus trabalhos lembravam a Paula Rego. É uma artista que eu admiro muito , talvez a artista plástica portuguesa  de que mais gosto

 

 

 

Alguns artistas ocultam as mãos e pés porque dizem ser o mais dificil de retratar, tu mostra-nos muitas mãos e pés, é assim tão dificil?

 

Acho as mãos muito expressivas, gosto muito de pintar tudo o que tenha pormenores, os dedos, as unhas, as pregas dos nós dos dedos, os ângulos que os dedos fazem, ao contrário de pintar pernas, braços, detesto, deixo sempre para o fim, esses sim, são difíceis ( riso)

 

 

 

Preferes pintar durante o dia ou noite?

 

Raramente pinto de noite e quando o faço na manhã seguinte não gosto do que fiz e destruo, à noite só quando tenho qualquer preocupação me tira o sono e aproveito esse estado para produzir. De verão gosto muito de me levantar cedo e começar a pintar, dá-me um enorme prazer, janela aberta, pouca roupa , pés descalços. No inverno as tardes dão-me mais prazer

 

 

 

Ouves música enquanto trabalhas? O quê?

 

Sempre! Começo por ouvir um posto de rádio TSF, farto-me  de ouvir as notícias de meia em meia hora e passo então para as minhas escolhas que são sempre condicionadas pelo meu estado de espírito , no outro dia revi o filme Out of Africa e estive a ouvir a sua banda sonora dias a fio . gosto de pintar e ouvir Cigarrets after sex, Future islans, Mazzy star e algumas músicas dos meus tempos de escola , algumas letras das músicas do Sérgio Godinho também me fazem sentir bem , Verve...

 

 

 

Há algum trabalho que gostas mais do que outros?

 

Sim, há sempre uns  que se destacam, aqueles que me ficaram na memória por acaso já não estão comigo, um está em Itália, outro na Irlanda, um aqui em portugal e outro numa parede em Alfama e uns aqui nesta exposição do Espaço Exibicionista   

 

 

 

O que sentes quando vendes um trabalho de que gostas muito?

 

Feliz, só os sinto meus enquanto os executo, o momento da criação tráz-me felicidade e prazer , depois de terminado  pertence ao outros Sou muito interesseira com os meus trabalhos, amo-os enquanto eles me dão prazer , é o acto de pintar e o que antecede à sua realização que me satisfaz

 

 

 

​​Uma tela em branca assusta-te?

 

Não! Sempre ansiosa por lhe tirar essa palidez

 

 

 

Como te surgem as ideias para novos trabalhos?

 

Muitas vezes de uma cena de um filme, de um poema...  de alguma coisa me toca muito, fico ligada a Marrocos e voilá

 

 

 

O que te levou a desistir de um trabalho fixo e  te dedicares à pintura?

 

Sempre trabalhei em publicidade, gostei muito da minha profissão, era muito dinâmica e versátil , a empresa foi reduzindo pessoas até fechar, foi essa a principal  razão, aproveitei  este empurrão e dediquei-me àquilo que sempre desejei , pintar. A idade também ajudou neste processo todo porque não surgiram oportunidades de emprego, se tivesse surgido não sei se estaria aqui a responder a este inquérito

 

 

 

Como é ver trabalhos teus  mais antigos?

 

Tenho consciência que as fases mais antigas foram imprescindíveis para chegar até aqui e que a  actual   será também  um processo evolutivo para outras no futuro . Ainda há pouco tempo estive a organizar umas gavetas e dei com uma pasta com todo o tipo de documento e imagens de exposições mais antigas, houve uma ou outra que fiz caretas feias “ como foi possível”

 


 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Rua Dona Estefânia 157 C, Lisboa, Portugal | GPS: 38.732722, -9.141149 | T: +351 214 055 054 | info@espacoexibicionista.com

 

SEG-SEX: 11:00 - 20:00 | SAB: 11:00 - 18:00