• Espaço Exibicionista

LUÍS MELO

Atualizado: Abr 9


LUÍS MELO PINTURA
Luís Melo (Portugal)

Dono de um traço apurado, Luís Melo procura explorar as inesgotáveis potencialidades da pintura. O seu universo pictórico regula-se por temáticas ambíguas, que resgata, visivelmente, à história, à literatura, à fotografia, ao cinema e, até, à moda.


Owner of a refined line, Luís Melo seeks to explore the inexhaustible potential of painting. Its pictorial universe is regulated by ambiguous themes, which visibly rescues history, literature, photography, cinema and even fashion.



O que esperas da tua pintura?

What do you expect from your painting?


O nome demorou um pouco em surgir ao inico, e no meio de tantos nomes possíveis para este trabalho, instalou-se de forma natural. Considero que o trabalho de um artista plástico deve falar por si só, sem necessidade de “legendas”. Mais ainda, uma outra razão para a escolha deste nome será a natureza intimista das aguarelas que agora apresento. Haverá quem as considere agressivas ou deprimentes até mas na minha cabeça não, e nem nunca o foram. A leitura que lhes posso fazer é de algo estático- um momento!

The name took a while to emerge at the beginning, and in the middle of so many possible names for this work, it was installed in a natural way. I believe that the work of an artist should speak for itself, without the need for “subtitles”. Furthermore, another reason for choosing this name will be the intimate nature of the watercolors that I now present. There will be those who consider them aggressive or depressing even, but in my mind they do not, and they never have been. The reading I can give you is something static- one moment!



Como te surgem as ideias para os novos trabalhos?

How do you come up with ideas for new works?


Muitas vezes associam o meu trabalho aos contos de fadas e ao fantástico, mas não encontro, neste momento, uma necessidade de o justificar. Nem sequer com contos de fadas. Já o foi! Neste momento procuro outras linguagens, outras histórias que não serão de fadas nem nada que se lhe pareça! “O lobo é sempre mau na versão do capuchinho vermelho!”


I often associate my work with fairy tales and the fantastic, but I do not find, at this moment, a need to justify it. Not even with fairy tales. It already was! At this moment I am looking for other languages, other stories that will not be fairies or anything that looks like it! "The wolf is always bad in the little red riding hood version!"



Fala-nos sobre o papel das “fotos antigas “no teu trabalho.

Tell us about the role of “old photos” in your work.


Fazem constantemente perguntas sobre as fotos antigas. É algo que intriga muito quem vê o meu trabalho. Não foi algo calculado, mas que surgiu aos poucos e sem razão aparente. Não, não são familiares. Para mim são os esquecidos, descartados por falta de espaço, tempo, gosto ou até respeito. São adquiridas nas feiras por aqueles que se descartam destas memórias que tiveram a sua importância ou o seu momento.


They constantly ask questions about the old photos. It is something that greatly intrigues those who see my work. It was not something calculated, but it appeared little by little and for no apparent reason. No, they are not familiar. For me they are the forgotten ones, discarded due to lack of space, time, taste or even respect. They are acquired at fairs by those who discard these memories that had their importance or their moment.



Cadeiras…tesouras…Porquê?

Chairs ... scissors ... Why?


De onde surgem as cadeiras, as tesouras… Porquê? Como? Quando e para quê?

Posso até referir a simbologia que lhes estará colada. Será inevitável associar a cadeira ao sentar, esperar. Já a tesoura dará uma leitura imediata de cortar com algo. E mesmo que este possa ser um objeto considerado como algo violento, rapidamente as interpretações irão ao encontro desta metáfora. Nada tem que ser negativo nem final! Tudo pode ser um recomeço... Um cortar com o passado... esperar algo que não chega…esperar pelo que ainda não está... poderiam ser estas as explicações mas…. não devo responder, nem retirar a magia.


Where do the chairs, the scissors come from... Why? How? When and for what? I can even refer to the symbology that will be glued to them. It will be inevitable to associate the chair when sitting, waiting. The scissors, on the other hand, will give an immediate reading to cut with something. And even though this may be an object considered to be something violent, interpretations will quickly meet this metaphor. Nothing has to be negative or final! Everything can be a new beginning... A cut with the past... expect something that is not enough... wait for what is not yet... these could be the explanations but... I must not answer or withdraw the magic.


LUÍS MELO PINTURA

#espacoexibicionista #luismelo #espacoexibicionistagallery

2 visualizações